DECORA INTERI DICA DO MÊS

Decoração de apartamentos pequenos: de 70 m2 a 100 m2

Um tamanho padrão de dois ou trÊs quartos, muito procurado para pequenas famílias e que exigem muita praticidade e flexibilidade em adap...

Paisagismo para 2018



Materiais naturais



Nota-se uma tendência clara de utilização cada vez maior dos materiais naturais com acabamento em bruto: madeiras puras, rattan, pedra, etc.  


As resinas com acabamento  a imitar estes materiais são uma das grandes apostas de uma série de marcas. Cores diferenciadas e contrastes despertam o olhar e as emoções !!

Tecidos para exterior


A oferta de tecidos para exterior revelou um foco nos padrões florais, étnicos e geométricos.

Cores 


Embora se veja um pouco de tudo em termos de palete de cores, é verdade que os verdes, em todas as suas tonalidades, os azuis,  principalmente os turquesas e o índigo, o cinzento, o toupeira e o branco são as cores dominantes.



Mobiliário



O estilo clean, sóbrio e minimalista mantém-se, com cores entre o branco, o cinzento, o toupeira e as cores da madeira natural. 
As linhas nórdicas estão na ordem do dia: cadeiras com formas originais, mesas de madeira em estado bruto, cadeiras de bambu, rattan natural, peças de madeira escultóricas, etc. Peças de design leve e contemporâneo também fazem parte dessa linda decoração dos jardins e áreas externas.






As espreguiçadeiras, as redes e as camas de dia aparecem com uma grande oferta de modelos e de materiais e mais uma vez o conforto no exterior é a prioridade. os futtons coloridos também muito funcionais não poderiam ficar esquecidos.....



As suculentas e os cactos aparecem como protagonistas e cercados de ideias criativas para incorporá-los ao paisagismo.












Luminárias Vintage




As luminárias veem sendo o centro das atenções, seja em residências, escritórios, consultórios e em diversos estilos e assumindo diversas personalidades. 

Atualmente são tantas opções de cores, texturas, materiais e designs diferenciados que torna-se cada vez mais fácil encontrar o modelo para cada estilo.



Nos últimos anos, os designers podem contar com uma gama enorme de estilos e cores para adaptar aos seus projetos com perfeição e dando o toque central na decoração.





Passamos pelas luminárias de design, pelas industriais, pelas super moderrnas , arrojadas com formas super inusitadas e feitas em materiais metalizados. 



Hoje vamos falar das luminárias vintage, que também possuem, em muitos casos, um apelo industrial e rústico. Já em outros podem ser adaptadas à delicadeza do espaço, até mesmo, serem usadas com as cores neutras e suaves. Vamos relembrar o que jamais saiu de moda !  Uma super tendência para este ano. e promete ficar ....



Vamos dar uma olhadinha em mais algums belos exemplos:












Materiais e Acabamento 2: Granilite e Marmorite

Granilite



A composto leva grânulos de minerais (crueldade, bago, quartzo e calcário, misturados ou não), cimento (comum ou branco), acrescidos de  areia e água para alcançar à aparência ideal. . Alta durabilidade  podendo durar mais de 40 anos.


O polido é contraindicado para áreas molhadas, por ter uma textura bastante escorregadio,

  Escada com este blindagem necessita de fitas com abrasivos, ou opte o forma fulget, naturalmente antiderrapante. 


Porém o fulget em bancadas de cozinha gera dor de cabeça para preservar a higienização por causa da superfície, e não pode ter contato com  ácidos.


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Marmorite



Consiste de uma Mistura de Pedriscos de Mármores, Granitos, Calcários e outros com ligante cimentícios (cimento comum e ou branco), podendo ser adicionado Corantes.


Depois de seco é Polido para se obter uma superfície uniforme, formando um Piso Monolítico com Estética, Beleza e Durabilidades.



Podendo ser encerado ou resinado para assim obter maior Brilho.







Shibori: criatividade e muita alegria no décor


Técnica de tingimento manual japonesa que produz padrões no tecido. 


A técnica consiste em costurar, dobrar, amarrar ou prender o tecido para então mergulhá-lo em tintura; as partes amarradas ou presas não são tingidas.

Essa bela técnica pode ser usada em tecidos para cortinas, almofadas, assentos, tapetes e nos lugares que necessitam um toque de cor e movimento.







Existem técnicas para cada gosto e estilo como: Kanoko, Miura, Kumo, nui, Arashi e Itajime.


Kanoko

É o que comumente se chama tie-dye no Ocidente. Consiste na amarração de certas seções do tecido para alcançar o padrão desejado. O shibori tradicional requer o uso de cabos para as amarrações, e o padrão obtido depende de quão fortemente o tecido está amarrado e onde está amarrado. Se seções aleatórias do tecido estiverem amarradas, o resultado será um padrão de círculos aleatórios. Se o tecido for primeiro dobrado e então amarrado, os círculos resultantes terão um padrão diferente dependendo da dobra que foi feita.

Miura

Consiste em tomar uma agulha enganchada e arrancar seções do tecido. Em seguida, um segmento é enrolado em torno de cada seção duas vezes. A linha não fica amarrada; a tensão é a única coisa que mantém as seções no lugar. O tecido tingido resulta em um desenho semelhante a água. Porque nenhum nó é usado, esse shibori é muito fácil de amarrar e desatar, sendo portanto uma técnica muito usada.Acredita-se que o nome "miura" tenha advindo de um médico chamado Miura, que veio para a região de Arimatsu a partir da ilha sul de Kyushu e cuja esposa ensinou este processo de amarração para a população local.

Kumo

É uma técnica plissada e amarrada que envolve seções plissadas muito finas e uniformes. Em seguida, o tecido é amarrado em seções próximas. O resultado é um padrão de teia muito específico. É preciso muita prática para produzir este tipo de design. O shibori kumo aparece freqüentemente em ukiyo-e do período Edo (1603–1868).

Nui

Inclui o shibori costurado. Um ponto de execução simples é usado no tecido e, em seguida, puxado para reunir o tecido. O fio deve ser puxado bastante apertadamente e uma cavilha de madeira é freqüentemente usada para puxá-lo apertado o suficiente. Cada fio é fixado por um nó antes de ser tingido.

Arashi

No shibori arashi o tecido é envolto em uma diagonal em torno de um bastão. Em seguida, o tecido é muito fortemente amarrado ao enrolar um cordão para cima e para baixo do bastão. Então, o tecido é comprimido no pólo. O resultado é um tecido pregueado com um desenho em diagonal. "Arashi" é a palavra japonesa para "tempestade".

Itajime

Tradicionalmente, o tecido é intercalado entre dois pedaços de madeira, que são mantidos no lugar com cordas. Artistas têxteis modernos costumam usar formas cortadas de acrílico ou plexiglass, fixad. fonte: wikipédia












Dicas Rápidas de Decoração

Aliás muito rápidas mesmo. Deem uma olhadinha como, de forma simples, com almofadas, móveis, tapetes, e outros elementos decorativos o espaço pode se tornar mais acolhedor e bastante moderno.

De acordo com o gosto do cliente, sempre, nunca deixe suas escolhas e fetiches interferirem em seu projeto. Já ouvi bastante profissionais falarem a seguinte frase: " não ficou como eu queria, o cliente mudou muita coisa, nem coloquei no meu site esse projeto " Tudo errado .... não é .... onde ficou o profissionalismo ???!!!  Ouvir o cliente e saber ler seus gostos e escolhas de vida, é a parte mais importante do trabalho de um profissional de interiores.

Mas vamos ver exemplos de formas bastante descontraídas de decorar e encantar....

Nesta foto, o ambiente é muito bem iluminado, piso claro, os tecidos seguindo uma paleta neutra e as cores forte estão em pequenos detalhes como almofadas e mantas. Cuidado apenas, para não sobrecarregar o ambiente.


Na foto abaixo, o tapete virou um lindo ponto de interesse e os móveis muito bem escolhidos tanto no tamanho quanto nas formas e cores, os elementos decorativos fizeram toda a diferença....




Móveis funcionais são a forma mais eficaz de decorar espaços pequenos, atualmente esse é o grande recurso e a grande sacada dos profissionais.  Quadros e almofadas complementam a proposta acolhedora do local....... 











   Mande seu email para  engenhariadeinteriores@gmail.com e solicite seu orçamento, envie sua planta ou croqui de sua casa ou apartamento, enviaremos no mesmo dia os valores. O projeto completo em 5 dias úteis.

Materiais e Acabamentos 2 : Pisos Laminados Certificados



Produzido pela indústria nacional, o piso laminado vem ganhando espaço no mercado de sistemas de revestimento. Esse desempenho está refletido nos números: entre 2007 e 

2016, a produção de piso laminado no Brasil cresceu 63%, atingindo a marca de 11,8 milhões de m² no último ano.




A matéria-prima do piso laminado tem origem no cultivo de árvores plantadas para fins produtivos – pinus e eucalipto – em um processo 100% sustentável, com ciclo de colheita e plantio renovável, sem qualquer relação com o desmatamento de florestas naturais. Estas plantações recuperam áreas degradadas previamente pela ação do homem e contribuem para a preservação da biodiversidade. 

O produto ainda é certificado por organizações independentes, como o Forest Stewardship Council (FSC) e o Programa Nacional de Certificação Florestal (Cerflor) – reconhecido internacionalmente pelo Program for the Endorsement of Forest Certification (PEFC) -, que garantem a procedência da matéria-prima utilizada.



 Ganhos com o piso laminado vão muito além do convencional

O incentivo à utilização deste tipo de revestimento ainda contribui diretamente com um desafio global: as mudanças climáticas. Os produtos derivados das árvores plantadas armazenam CO2, colaborando com a redução significativa deste gás na atmosfera, pois cada metro cúbico de madeira equivale a uma tonelada de carbono absorvida da atmosfera. O produto ainda é reciclável e pode ser usado na produção de energia de biomassa.


Os benefícios do piso laminado vão além de sua sustentabilidade, favorecendo tanto o empreendedor e o construtor, quanto o proprietário do imóvel. O produto possui sistema de revestimento de piso industrializado – incluindo régua, acessórios de instalação e acabamentos – e mão de obra qualificada.
A produtividade é alta, chegando a 50 m2 por equipe/dia e a perda de material é inferior a 5%.  Entre os principais diferenciais estão o custo reduzido – devido a sua praticidade e rapidez de instalação -, a qualidade, a durabilidade e o desempenho do material; além do conforto térmico e acústico, da beleza e da proteção antibacteriana.



Ao fazer a manutenção, o proprietário também evita gastos desnecessários, uma vez que, em caso de reformas, não há necessidade dos tradicionais “quebra-quebra” e do acúmulo de entulho, poupando custos com mão de obra. A limpeza cotidiana é realizada apenas com um pano úmido, contribuindo para a economia na conta de água do imóvel. E os pisos laminados com encaixe tipo “click” dispensam o uso de cola em casos de mudanças, permitindo que o consumidor possa levar o piso para a nova residência.  Fonte: GWA Comunicação Integrada / Paulo Mathias

Cores: O poder dos Contrastes


As cores complementares são aquelas que estão opostas no círculo cromático, não por acaso, conferem efeitos diferenciados e sem monotonia. proporcionam dinamismo na decoração e também, que o decorador ou designer possui uma habilidade criativa em decorar.





A seguir exemplos de quatro espaços os quais os contrastes de cores proporcionam diferentes sensações.

Espaço 1 :  Rosa e Vermelho



As cores podem ser escolhidas em seus diversos tons, o vermelho foi reduzido ao rosa com dois tons mais claros, o verde é a cor complementar. Este pode ser usado com a finalidade de realçar áreas do espaço, apenas uma área específica.  


Os tons de rosa significam a garantia de afeto e os de verde, calma e relaxamento.

Espaço 2:  Azul e Magenta



No caso a cor principal é o azul e o contraste será feito com magenta.  Este contraste é dramático e muito forte, o espaço pode se tornar acolhedor, porém atraente.  Cuidado para usar o azul em excesso e tornar o espaço frio, o azul escuro, pode entrar em detalhes.  Uma outra combinação seria usá-los em tons mais claros para espaços menores.


O azul acalma e relaxa e o magenta prioriza ânimo.

Espaço 3 : Violeta e Turquesa



Usando o violeta como a cor principal, e o turquesa para dar vida ao violeta, conferindo frescor e leveza.  Cuidado ao usar o violeta, é uma cor com grande força e impacto, estude bem o espaço antes de usar esta cor.


O violeta estimula a contemplação e o turquesa, acalma o sistema nervoso.



Espaço 4 Laranja e Azul



O laranja como cor principal, os tons mais claros são calmos e cheios de vida, os mais fortes, são muito intensos e usados para fins específicos. O azul pode realçar uma determinada área do ambiente, em tons mais escuros, é mais elegante.


O laranja estimula a criatividade e o azul, relaxa.

MAIS VISITADAS !!